Notícias sobre o Mercado

Notícias sobre o Mercado

Cartilha de aspiradores da Abralimp ajuda usuários a escolher a melhor opção

A cartilha “Aspiradores: uma ferramenta eficiente na limpeza profissional” acaba de ser lançada pela Associação Brasileira de Limpeza Profissional (Abralimp). O conteúdo é direcionado aos usuários da limpeza de ambientes institucionais.

Em seu trabalho permanente de educação ao mercado, a Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional (Abralimp) dá mais um importante passo com o lançamento da cartilha “Aspiradores: uma ferramenta eficiente na limpeza profissional”, idealizada e produzida pela Câmara Setorial de Fabricantes e Importadores de Máquinas da associação.
A cartilha é uma ferramenta diferenciada para o treinamento de equipes e de orientação técnica aos tomadores de serviços e usuários da limpeza profissional. Conhecer as características destes equipamentos, suas funcionalidades, diferenças, nível de ruído, aplicações, acessórios, consumo de energia e maneiras para sua correta manutenção são essenciais para a escolha e otimização do uso destes equipamentos tão importantes na limpeza e higienização de ambientes.
A cartilha define o aspirador como “um dos equipamentos mais importantes quando pensamos em limpar ambientes, pois nos proporciona a oportunidade de recolhermos os resíduos, transportá-los no reservatório da máquina ou em saco para pó e descartar a sujidade de uma forma eficiente e prática sem o contato direto com a sujeira. Estas qualidades se aplicam desde um aspirador de pó para uso doméstico a outros modelos para a limpeza profissional e industrial”.
Nos últimos anos, o Brasil tem se beneficiado com uma vasta oferta de modelos e marcas. Isto é positivo, mas ao mesmo tempo dificulta aos consumidores a decisão de qual é o produto ideal para sua necessidade.

Que modelo comprar?

A decisão de que tipo de equipamento comprar ou usar depende da sua necessidade de limpeza e de como ela será suprida de forma mais eficiente e econômica possível.
Existem conceitos falsos de que “quantos mais watts melhor”, ou seja, maior a potência; e de que o melhor equipamento é aquele que aspira “pó e água”.
A cartilha esclarece que watts é uma medida de consumo, portanto, quanto mais watts maior é o consumo de energia e não a potência do aparelho. Sobre a questão do “pó e água” no mesmo aparelho, também há esclarecimentos a serem feitos.
Para facilitar, a cartilha recomenda ao usuário que faça são 3 perguntas antes de selecionar o melhor tipo de aspirador:
? Qual o tipo de sujidade a ser limpa?
? Qual a quantidade de resíduos que precisa retirar?
? Em que tempo deveremos realizar o serviço proposto?

Abaixo, as dicas da cartilha:

Aspiradores para sólidos em geral

Sujidades que sejam compostas de poeiras com diversos diâmetros como poeiras de ambientes residenciais, escritórios, pelos de animais, felpas de tecido, areias, pequenas pedras, resíduos de metais como limalhas e detritos pequenos, pó de madeiras e outros tantos resíduos sólidos, podem ser limpos com aspiradores que sejam apenas para sólidos. São mais leves e compactos do que os demais.

Aspiradores para sólidos e líquidos

Nas situações onde seja necessária aspiração de materiais líquidos, existem algumas variáveis a serem levadas em conta, tais como: a densidade dos líquidos que pode ir de fina como água a graxas líquidas e densas; composições químicas ácidas, alcalinas, neutras; e líquidos voláteis com risco de explosão.
De forma geral, podemos dizer que líquidos inflamáveis não devem ser aspirados por aspiradores com motores elétricos, pois as faíscas elétricas destes motores podem ocasionar explosões. Por isso, existem aspiradores profissionais específicos para este fim.
Na maioria das situações de aspiração de líquidos mais comuns como água, água com detergentes, água com removedores, água com pequenas quantidades de produtos alcalinos ou ácidos, óleos industriais, óleos de origem animal, graxas finas e outros líquidos que não possuam potencial explosivo, o mercado oferece diversos modelos desde 1 até 3 motores com reservatórios que vão de 5 litros até 200 litros de capacidade de armazenamento, dando ao usuário a possibilidade de escolher o equipamento específico para sua necessidade.

Afinal qual é o mais eficiente?

A cartilha mostra que podemos classificar os aspiradores de uso individual do mercado brasileiro pela análise de cinco características básicas. Apenas uma característica específica e isolada não determina o grau de eficiência de um aspirador e sim o conjunto e o equilíbrio das mesmas para cada utilização:

1 - Vácuo ou Depressão
Esta característica proporciona ao usuário a oportunidade de verificar se o aspirador tem a força suficiente ou poder de sucção para aspirar o tipo de sujeira de sua necessidade. Muitas vezes é denominada e demonstrada como “coluna de água”.
A força de aspiração é necessária de acordo com o tipo de sujidade e sua resistência. Pedras, um fio de cabelo ou barro no tapete, somente para citar alguns exemplos, exigem poder de sucção diferenciados.

2- Vazão de ar ou quantidade de sujeira aspirada
A vazão de ar ou quantidade de sujeira aspirada em determinado tempo ajuda a calcular e decidir a quantidade de motores (um, dois ou três) que o aspirador deve ter e também qual tipo de reservatório melhor se adapta à situação. Enquanto um aspirador comum de um motor pode aspirar até 210 m³/h, um aspirador de dois motores aspira até 370 m³/h e um de três motores pode chegar a 510 m³/h de aspiração. Isto mostra que, se tivermos muita sujidade ou tempo reduzido para a limpeza, a melhor solução é buscar maior vazão de aspiração.

3- Tamanho dos reservatórios
O tamanho do reservatório está vinculado à característica anterior. Se a aspiração for rápida ou tivermos muita sujeira, o reservatório irá encher rapidamente perdendo-se produtividade, pois temos que esvaziá-lo várias vezes. Com este raciocínio, chegamos à conclusão de que “quanto mais ar se aspira, maior deve ser o reservatório”.

4- Consumo de Energia
Após verificar as demais características do aspirador correto para a necessidade do usuário, deve-se levar em conta o consumo de energia que o produto gera. Certamente, aspiradores com maior quantidade de motores poderão apresentar um consumo maior. É importante usar como parâmetro a necessidade do ambiente, por exemplo, se será preciso um aspirador maior com mais de um motor ou dois aspiradores menores com o mesmo consumo total de energia.

5- Nível de ruído
O nível de ruído aceitável para a saúde humana é de, no máximo, 40 dB (decibéis) a 85 dB para uma exposição continua de até 8hs. Esse nível varia em função dos ambientes, tais como hospitais, hotéis, restaurantes e a casa das pessoas.
Cada aspirador depende de diversos fatores como forma de construção, tipos de motor, tipos de filtros e até materiais utilizados em sua construção. O cliente deve avaliar a melhor alternativa para sua atividade a partir das informações encontradas no manual dos produtos.
Os interessados podem conferir aqui informações mais completas sobre a limpeza de ambientes com aspiradores e outras informações valiosas sobre esses equipamentos na cartilha "Aspiradores – Uma ferramenta eficiente na Limpeza Profissional”.

Compartilhe este conteúdo: